Ciclo de palestras chama atenção para os riscos da falta de água




Mais de 200 alunos assistiram as palestras

Mais de 200 alunos assistiram as palestras

Bem comum mais importante para a vida, a água está se tornando cada vez mais escassa devido às ações irresponsáveis do homem. O desperdício, o desmatamento e a poluição estão colocando em risco o lençol freático, as nascentes e os rios e, consequentemente, o abastecimento de populações inteiras.

Com foco nessa situação, a secretaria municipal de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente realizou na terça-feira (24) à noite, no Centro de Eventos Juventude um ciclo de palestras que contou com a presença de profissionais ligados à área ambiental, como a professora doutora em química do ICET Eliana F. G. C. Dores; Leonice de Souza Lotufo, gerente de fomento e apoio a comitês de bacias hidrográficas e superintendente de recursos hídricos da Secretaria Estadual de Meio Ambiente; dos engenheiros ambientais Felipe Pilan e Murilo Formiga, da empresa Nascentes do Xingu, que detêm a concessão dos serviços de abastecimento de água e esgoto em mais de duas dezenas de cidades em Mato Grosso; e do engenheiro agrônomo e mestre em gestão de recursos hidrológicos, Carlos Henrique Checoli.

Autoridades e palestrantes durante cerimonial de abertura do evento

Autoridades e palestrantes durante cerimonial de abertura do evento

Secretário de Desenvolvimento Agrícola e Meio Ambiente, Pedro Cambará lembrou em sua fala durante a abertura do evento, que Campo Verde, nos últimos 30 anos, passou por mudanças em seus recursos hídricos. Como exemplo ele citou os rios das Mortes e São Lourenço, que estão com o volume de água reduzido. “A água é, sem dúvida nenhuma, o maior patrimônio que temos. Sem ela nós não somos nada. E nós, talvez, ainda não nos atentamos para isso”, disse. “A gente pensa que a água não vai ter fim, por isso é preciso usar com mais racionalidade”, completou.

Para a secretária de Educação e Cultura, Andrea Schroeter, é preciso que a população mude seus hábitos e passe a cuidar da água com mais consciência. “Nós sabemos, na prática e na teoria o quanto a água é importante para a vida, mas falta algo essencial aos seres humanos, que é atitude”, destacou. “Não existe outra maneira, além de preservar, do que sabermos que é preciso usar a água de forma consciente”, completou.

A vereadora Alaene Fernandes, a “Boneca”, salientou que adotar hábitos simples, como diminuir o tempo do banho e escovar os dentes com a torneira fechada já contribuem para a redução do desperdício de água. Para ela, somente com atitudes consciente será possível evitar situação como as que estão sendo registradas em várias regiões do Brasil, onde a falta de água e o risco de desabastecimento é alarmante. “Nós aqui em Campo Verde não temos noção da falta de água que ocorreu em São Paulo, mas é preciso mudar os hábitos porque a gente está caminhando para isso”, alertou.

Até a próxima sexta-feira (27), a SEDAM realizará palestras nas escolas da zona rural e urbana do município. Também serão desenvolvidas ações como o plantio de árvores e repovoamento de nascentes. O ciclo de palestras realizado na última terça-feira atraiu mais de 200 alunos da rede pública e particular de ensino. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação/ASCOMCV)

Categorias: Noticias