Prefeitura de Campo Verde firma comodato com indústria de conservas




IMG_5248O prefeito de Campo Verde Fábio Schroeter e o secretário de Indústria, Comércio e Turismo Aparecido Rudnick, assinaram na tarde de hoje (3) o termo de cessão de uso em comodato de um galpão localizado na Agrovila João Ponce de Arruda para que o empresário Loreci Rodrigues Fermiano Júnior possa ampliar sua indústria de conservas alimentícias.

A empresa Vida Mais Alimentos está há quatro anos na Agrovila João Ponce de Arruda e produz palmito de babaçu em conserva. Toda produção é comercializada por uma distribuidora localizada em Ituverava (SP). Em Campo Verde, os produtos da Vida Mais Alimentos podem ser encontrados com exclusividade no Supermercado Paranaense.

De acordo com Loreci o apoio que está sendo dado pela Administração Municipal é fundamental para que sua empresa possa produzir mais. “Sem essa ajuda ia ficar meio difícil pra nós porque a gente não tem condições de fazer uma construção daquela”, afirmou.

O galpão cedido à empresa terá que ser reformado e adequado às exigências sanitárias. Serão erguidas paredes, feito reparos no telhado e construída uma cozinha. O prazo de concessão é de cinco anos renovável por mais cinco. Pelos cálculos do empresário, será necessário investir cerca de R$ 70 mil para deixar o prédio em condições de uso.

O apoio dado pelo Município, além de favorecer o empresário, vai contribuir com uma parcela dos moradores da Agrovila, especialmente aquela que vive das pequenas áreas. “Essa ajuda que o prefeito e o secretário vem dando pra nós foi uma mão na roda, porque vai ajudar a ampliar nossa indústria e gerar emprego e renda lá para o pessoal também”, disse ele.

Conforme destacou o prefeito Fábio Schroeter, o comodato é uma forma de a Prefeitura dar utilização a um imóvel que não está sendo aproveitado. “É um barracão que está há muito tempo fechado, não está proporcionando ganho para ninguém, aliás, está se deteriorando. Então a Prefeitura está fazendo essa concessão de uso para a empresa do Loreci”, disse Fábio.

O prefeito ressaltou que a concessão poderá interferir diretamente no aumento de renda para os pequenos proprietários de terra da Agrovila. “Ele que já tem a empresa montada e já processa alguns produtos vem facilitar, vem incentivar o pequeno produtor a produzir os produtos para fazer as conservas”, disse.

Fábio também destacou que a empresa é responsável por fazer a parte mais difícil dentro da cadeia produtiva, que é a colocação do produto acabado no mercado consumidor. “Muitas vezes o assentado, o pequeno produtor da agricultura familiar consegue produzir, mas não consegue colocar o seu produto. Então, se ele produzir aqueles produtos que a empresa do Loreci vai processar, automaticamente esses produtos estarão colocados no mercado consumidor. A gente está incentivando com isso a agricultura familiar do município, incentivando a economia do município e dando utilidade para um bem público que estava parado”, observou.

A concessão de uso do barracão foi coordenada pela Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo, de forma a contribuir para que uma empresa que já está instalada em Campo Verde pudesse aumentar sua produção.

“Nós estamos obedecendo aos critérios da administração do prefeito Fábio, que é dar oportunidade e tentar atrair novos investimentos para o nosso município”, disse o secretário Aparecido Rudnick. “E essa empresa já se encontrava no nosso município, mas a ponto de sair porque não tinha um local adequado para trabalhar”, destacou. “Com isso nós estamos cumprindo nosso papel, que é o de fomentar a indústria, o emprego e a geração de renda”, concluiu.

A Vida Mais Alimentos produz atualmente uma média de 100 caixas de palmito de babaçu em conserva e gera oito empregos direto. Com a ampliação, Loreci Júnior informou que pretende aumentar o leque de produtos com conservas de seleta de legumes, pepino, beterraba, cebola, cenoura e ovos de codornas.

Aumentando a fabricação, segundo ele, será necessário ampliar o número de colaboradores. “Pretendemos chegar a pelo menos 20 pessoas”, revelou. Indiretamente, vários outros empregos deverão ser gerados, já que a indústria absorverá parte da produção das pequenas propriedades da região. Para garantir matéria prima, Loreci informou que pretende arrendar pelo menos três hectares para o cultivo dos legumes. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação)

Categorias: Noticias