AL aprova PL e comunidades passam a pertencer a Campo Verde




IMG_3729A Assembleia Legislativa de Mato Grosso aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei número 17/2017 de autoria da Comissão de Revisão Territorial dos Municípios e Cidades, presidida pelo deputado Ondenir Bortolini, estabelecendo nova divisa entre Campo Verde e Santo Antônio do Leverger.

Com a aprovação do PL, que segue agora para sanção do governador Pedro Taques, comunidades como o Assentamento Santo Antônio da Fartura, que tinha a maior parte de sua área no município vizinho; Mata-Mata, Córrego do Ouro, Bigorna, Serrana e Bom Jardim, além do Instituto Federal de Educação, na Serra de São Vicente, e também uma área próxima a MT-140, entre a BR-364 e São Lourenço de Fátima, passam a pertencer a Campo Verde.

A nova divisa foi demarcada depois da realização de estudos preliminares das inconsistências territoriais existentes, visitas a campo e consulta às populações que vivem nas áreas em questão, feitas pela Secretaria de Estado de Planejamento com apoio da Assembleia Legislativa e do IBGE.

Até chegar a uma definição foram realizados debates, oficinas e audiências públicas, onde tanto os representantes dos municípios envolvidos, lideranças comunitárias e parlamentares puderam colocar seus pontos de vista.

Para o prefeito Fábio Schroeter, a nova divisa é uma questão de justiça para com os moradores das comunidades do Santo Antônio da Fartura, Mata-Mata, Bigorna, Serrana, Córrego do Ouro e Bom Jardim, que geograficamente, estão mais próximas de Campo Verde que do município-sede, Santo Antônio do Leverger.

“Não foi um pleito nosso por questão apenas de trazer receita para o município, mas prover serviços públicos de qualidade para essa população muito sofrida que morava em Santo Antônio do Leverger e que tinham dificuldades em serem atendidas. Foi mais uma questão de justiça, uma questão de dignidade para essa população”, frisou.

A maior parte dessas comunidades já era atendida por Campo Verde com conservação de estradas, saúde e educação. Em contrapartida, os moradores dessas localidades consomem no comércio de Campo Verde, fomentando a economia do município.

Na área anexada a Campo Verde, além de centenas de pequenas propriedades que produzem legumes, frutas e verduras, tem também grandes fazendas produtoras de grãos ou de criação de gado, além de uma engarrafadora de água mineral e uma usina hidrelétrica. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação/ASCOMCV)

Categorias: Administração