Janeiro registra diminuição nos casos de dengue, zika e chikungunya em Campo Verde




IMG_5879As ações realizadas de forma intensa, como campanhas de conscientização, mutirões de limpeza e bloqueio nas áreas de maior risco – como oficinas mecânicas, ferros-velhos e borracharias – realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde, estão apresentando resultados positivos no combate ao mosquito Aedes aegypti.

De acordo com a Vigilância Ambiental, órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde, do início do ano até agora foram realizados apenas quatro bloqueios. Os bloqueios, de acordo com Carla Vargas, chefe da Vigilância Ambiental, são realizados nas regiões onde há notificações de pessoas com suspeitas de dengue, zika ou chikungunya.

Esse número, segundo ela , é bem menor que no mesmo período do ano passado. “Em janeiro de 2016 nós realizávamos dois bloqueios por dia”, comparou. Para que houve assa redução, Carla Vargas destaca que, além das ações da Secretária de Saúde, à participação da população na eliminação dos pontos que possam acumular água e servir de criatório para o mosquito foi de grande importância.

Porém, apesar da redução significativa dos casos de dengue e de notificações, ainda é possível avançar ainda mais no combate ao Aedes, conforme afirmou Carla Vargas.

Segundo ela, em alguns bairros ainda falta um maior empenho dos moradores na eliminação de entulhos, do lixo e dos pontos de acúmulo de água. “Hoje o nosso maior problema é no bairro São Miguel. A limpeza é feita em um dia e no outro, moradores jogam lixo, móveis velhos e entulho nas ruas”, lamentou.

Outro problema apontado por Carla Varga, e que contribui com a proliferação do mosquito Aedes aegipty, é a água servida despejada nas ruas pelos moradores. “Nós solicitamos que, nas regiões onde já está instalada e funcionando a rede de esgoto, que os moradores façam a ligação e evitem jogar a água na rua”, pediu.

De acordo com a Vigilância Ambiental, as ações de combate ao Aedes continuarão a ser desenvolvidas de forma intensa ao longo do ano na área urbana de Campo Verde e também nas comunidades rurais. Para isso, 19 agentes ambientais percorrem casas, comércios e indústria vistoriando se há focos do mosquito. Ações de limpeza também serão realizadas em parceria com a Secretaria Municipal de Obras e Viação. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação/ASCOMCV)

Categorias: Saúde