Secretaria Municipal de Saúde alerta para o risco de acidentes com cobras




A Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde está alertando a população quanto ao risco de acidentes com animais peçonhentos, especialmente serpentes. O alerta está sendo feito em razão do número de pessoas vítimas de picadas de cobras registrado nos primeiros cinco meses de 2017.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, de janeiro a maio deste ano 29 pessoas foram picadas por cobras da espécie jararaca no município. Entre as cidades da região Sul, Campo Verde, com 40 mil habitantes, foi a que registrou o maior número de casos no período.

Em segundo lugar, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, aparece Rondonópolis, que tem 236 mil moradores e contabilizou 16 casos. Primavera do Leste, com uma população de 59 mil moradores, registrou 15 vítimas de picadas de cobra nos primeiros cinco meses do ano.

Os números de Campo Verde preocupam e para evitar mais acidentes, são recomendados alguns cuidados. Um dos principais modos de se proteger contra a picada de cobras, principalmente para quem trabalha na zona rural ou visita lugares de vegetação densa, é o uso de botas ou perneiras. Esse tipo de proteção evita até 80% dos casos de picada. Sapatos baixos reduzem o risco em 30%

Outro cuidado que deve ser tomado para evitar o aparecimento de cobras próximo às residências é manter limpa a área no entorno das construções. Deve-se ainda evitar o acúmulo de lixo, folhas secas e entulhos próximo às casas ou galpões. Os restos de comida também devem ser eliminados do ambiente pois atraem ratos, principal alimento das cobras.

Buracos, folhas secas, montes de pedras, pilhas de tijolos ou troncos ocos são utilizado como esconderijo pelas cobras. Ao mexer em um deles deve-se utilizar para isso um pedaço de pau ou graveto.

De acordo com a Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde, para evitar maiores complicações decorrentes da picada de cobra é importante manter a vítima calma, deitada e com o mínimo de movimento.

Nos casos de picadas nos braços ou nas pernas, manter o membro afetado em posição mais elevada que o corpo. A vítima deve ser levada o mais rápido possível para atendimento médico e é importante identificar a cobra para que possa ser administrado o soro antiofídico correto.  (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação/ASCOMCV)

Categorias: Saúde