Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo de Campo Verde inaugura “Sala do Empreendedor”




Com a presença do prefeito Fábio Schroeter, a Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo de Campo Verde inaugurou na tarde de quarta-feira, (13) a “Sala do Empreendedor”, que funcionará anexa à Secretaria, na rua esquina das ruas Belém e Manoel Genildo de Araújo.

De acordo com o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Altair Donizete Restani, a Sala do Empreendedor é mais uma das ações que a Administração Municipais vem desenvolvendo para apoiar e incentivar os micros e pequenos. “Nós temos um programa chamado Cidade Empreendedora que abrange 32 soluções para que a gente possa transformar Campo Verde num ambiente sustentável, econômico que fortaleça este ambiente de negócios”, disse ele.

Uma das ações implantadas pela Administração Municipal para fomentar os micros e pequenos negócios, e que tem sido destaque em todo o Brasil, é o programa Licita Campo Verde, que faz parte do “Programa Cidade Empreendedora” e que criou mecanismos para que empresas de micro e pequeno porte negociem com o Município.

O Cadastro On Line, sistema pelo qual as empresas se cadastram junto ao Município, informando quais os produtos e serviços tem a oferecer. “Quando houver uma licitação que tenha aqueles itens que eles têm para oferecer, o Município vai informar os empresários que vai acontecer a licitação”, explicou Restani.

Uma cartilha sobre como vender para o Município e Plano de Compras Anual que podem ser acessadas através do site da Prefeitura (www.campoverde.mt.gov.br) são outras ferramentas disponibilizadas que facilitam as negociações entre os micro e pequenos empreendimentos e a Administração Municipal.

Outra grande vantagem para os pequenos negócios é a possibilidade de o Município pagar até 10% a mais para as micro e pequenas empresas locais em relação aos preços das empresas de outras localidades.

Com isso, o volume de compras feitos de empresas locais saltou de R$ 4, 9 milhões em 2016 para R$ 10,8 milhões em 2017. “Isso impacta financeiramente no Município, onde as empresas geram mais empregos, os donos das empresas têm mais renda, podem reinvestir no Município, criando um círculo virtuoso”, observou Restani.

Durante a inauguração da Sala do Empreendedor, quatro empesas que participaram das capacitações ofertadas pela “Incubadora Sucesso”, por meio da Somar Assessoria Empresarial e Esportiva Ltda, foram certificadas pela SICT.

Por um período dois anos as empresas Objetiva Escritório de Contabilidade, Embalagens São Lourenço, Célia Maria Delgado ME, e Marques e Castanha Ltda (Studio Pet), receberam consultorias e participaram de cursos, treinamentos e palestras com o objetivo de se prepararem para o mercado.

“Das 14 empresas que nós temos incubadas, essas quatro hoje foram graduadas, ou sejam, atingiram um nível de maturidade para andarem com suas próprias pernas”, destacou o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Altair Donizete Restani.

A Sala do Empreendedor é parte do Programa Cidade Empreendedora, desenvolvido pelo Município em parceria com o SEBRAE. Na avaliação do secretário Altair Donizete Restani, o trabalho que está sendo desenvolvido visando o empreendedorismo, tem apresentado excelentes resultados para o Município.

“A soma dessas ações que a Prefeitura vem fazendo através da Secretaria de Indústria e Comércio [e Turismo] resultou em um saldo positivo de 1.450 novos empregos de janeiro a setembro de 2018”, destacou Restani.

Para Ângela Bhorer, da Objetiva Escritório de Contabilidade, toda experiência que envolve aprendizado é válida e importante. “Foi um crescimento muito grande, uma capacitação muito importante que nós passamos nesse período. Nós podemos sentir o efeito positivo no nosso dia a dia, nos nossos processos internos”, afirmou.

Na visão de Érika Santos, gerente regional do SEBRAE de Rondonópolis, o Programa Cidade Empreendedora tem apresentado bons resultados em Campo Verde. “Nós temos percebido uma melhoria nos processos internos. Uma reanálise do Município com relação a um ambiente legal para as micros e pequenas empresas. A gente tem percebido que os empresários têm entendido que este ambiente está mais propício”, disse ela.