Vigilância Ambiental intensifica combate a focos do Aedes aegypti




A Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde montou uma verdadeira “força tarefa” de combate ao mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como a dengue, a febre chikungunya e a zika.

A partir de hoje (27), 22 agentes de combate a endemias percorrerão todos os bairros da cidade orientando os moradores e eliminando pontos de acúmulo de água para evitar a proliferação do mosquito, que nessa época do ano, devido às chuvas intensas, encontra ambiente favorável para se multiplicar. Dois veículos serão utilizados nos trabalhos.

De acordo com o coordenador da Vigilância Ambiental, João Paulo Cardozo, inicialmente a eliminação dos criatórios do Aedes aegypti e a orientação à população serão feitas nas praças e prédios públicos e em seguida será estendido à todos os bairros da cidade. Na próxima sexta-feira (30, será feita uma panfletagem nos bairros Recanto do Bosque I e II, locais onde é maior a incidência do mosquito.

Conforme informou Cardozo, embora o Levantamento Rápido de Índice para o Aedes aegypti (LIRA) tenha apontado que a situação em Campo Verde é de atenção, durante o mês de novembro apenas um bloqueio com larvicida foi realizado na cidade. O bloqueio, conforme explicou ele, é feito sempre que um caso de dengue, zika ou chikungunya é confirmado. “Isso significa que o trabalho de combate ao mosquito está sendo feito”, destacou o coordenador da Vigilância Ambiental.

Entre os cuidados que a população deve ter para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti estão: eliminar vasilhas que acumulam água, limpar calhas, manter os quintais limpos, fazendo o recolhimento do lixo pelo menos uma vez por semana, manter caixas d´água e tambores tampados, substituir a água dos vasos por areia, entre outros.

Categorias: Saúde