“2018 foi um divisor de águas para a Cultura em Campo Verde”, avalia secretária


Avaliação foi feita durante apresentações e entrega de certificados que marcaram o encerramento das atividades do ano

O Departamento de Cultura da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Campo Verde encerrou as atividades de 2018 com uma série de apresentações artísticas feita pelos alunos que participaram dos cursos e oficinas realizados durante o ano.

O encerramento, realizado na quadra de esportes da Escola Municipal Dona Maria Artemir Pires, teve também entrega de certificados aos alunos, antecedida por apresentação de danças gaúchas, dança de rua, balé e teatro.

Fátima Conti, supervisora do Departamento de Cultura, avaliou 2018 como um ano extremamente positivo e destacou o apoio da Secretaria Municipal de Educação e Cultura na realização de eventos ligados ao segmento e à revelação de novos talentos.

“Estamos sempre empenhados para que a Cultura do nosso Município cresça cada vez mais”, enfatizou. “Quero também agradecer a todos os familiares (dos alunos) por confiarem em nosso Departamento de Cultura para a formação intelectual e cultural de seus filhos”, completou.

A supervisora parabenizou e agradeceu os integrantes da equipe do Departamento de Cultura pelo empenho e dedicação ao trabalho. “Foi isso que fez com que os eventos culturais fossem realizados com sucesso, atingindo não só o público escolar em sua totalidade, mas também a sociedade campo-verdense”, destacou.

Entre as ações de 2018 destacadas pela supervisora estão a realização do Festival de Teatro Campo-verdense e a volta do Grupo Teatral Raio de Luz, formado por professores e alunos do Departamento de Cultura, aos festivais regionais.

Este ano, a peça “Do Índio ao Algodão” foi apresentada no Festival Velha Joana, em Primavera do Leste, e arrebatou quatro prêmios. “Já temos planos para o próximo ano de participar de outros festivais”, adiantou.

Secretária municipal de Educação e Cultura, Andréa Schroeter também avaliou 2018 de forma positiva para a Cultura em Campo Verde. Ela destacou a realização do tradicional Fesccam, que este ano teve sua 25ª edição, a realização do Festival de Teatro e a realização do desfile temático pelo aniversário de 30 anos de emancipação do Município. “Eu avalio como um marco, um ‘divisor de águas’”, salientou.

O departamento de Cultura hoje, de acordo com a secretária, conta uma parte administrativa que cuida de toda organização dos eventos de uma forma mais eficaz. A parte artística, como oficinas e produção de espetáculos, está a cargo de pessoas ligadas às artes cênicas. Isso, na opinião de Andréa, tem feito a diferença.

Para que os bons resultados obtidos em 2018 possam continuar a serem alcançados, Andréa destacou que é necessário manter o Departamento de forma organizada. E essa organização, segundo ela, será traduzida em eficiência e continuidade. “Para (a Cultura) não deixar de produzir novos atores, novos músicos”, disse.

Categorias: Educação e Cultura