Vândalos danificam “cartão postal” de Campo Verde




Enquanto a Administração Municipal de Campo Verde trabalha para manter a cidade em ordem, alguns moradores preferem destruir aquilo que foi feito com os recursos dos impostos pagos pela população.

Um exemplo é a Praça João Paulo II. Localizada na região central, a praça é um dos cartões postais de Campo Verde. Tem quadra de esportes, academia de ginástica ao ar livre e praça de alimentação. Um mirante com 35 metros de altura permite a visualização da cidade em 360 graus.

Mas tudo isso parece não importar para algumas pessoas, que ao invés de aproveitar o local para momentos de lazer e interação com os amigos, preferem destruí-la. O alvo preferido dos vândalos são as mesas e os bancos de granito.

Das 15 mesas instaladas, dez estão danificadas e vários bancos foram quebrados. “É uma pena que isso que esteja acontecendo. E não é de hoje”, lamentou o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Altair Donizete Restani. “As pessoas precisam se conscientizar que as praças, por serem bens públicos, são delas. Então por que destruir?”, completou.

Na Praça 4 de Julho, também na região central da cidade, a situação é menos problemática. Apenas uma mesa e alguns bancos estão quebrados. Para evitar maiores danos, a Prefeitura substituiu as luminárias instaladas em postes baixos, e que eram quebradas frequentemente, por superpostes.

Nos bairros os danos causados pelos vândalos são menores. Na Praça das Crianças, no bairro Jupiara, apenas um banco está quebrado. No parquinho, uma gangorra e alguns balanços estão danificados. “Vamos providenciar para que esses brinquedos sejam consertados, assim como as mesas e bancos das demais praças”, garantiu o secretário Altair Donizete Restani.

Na Praça São Miguel, entre os bairros Cidade Alta e São Miguel, duas mesas foram destruídas. Na Praça Ayrton Senna, no Jardim Campo Verde, nenhum equipamento está danificado. “Gostaríamos de pedir às pessoas de bem que nos ajudem a cuidar desses patrimônios”, pediu Restani.