Saúde de Campo Verde aumenta em mais 400 o número de consultas de pediatria mensal




A partir da próxima segunda-feira (7), a Secretaria Municipal de Saúde de Campo Verde passará a oferta mais 400 consultas de pediatria por mês, passando das atuais 800 para 1.200. A contratação de mais atendimento pediátrico será custeada com recursos do Município.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Altair Timóteo de Araújo, a medida foi adotada para poder ampliar a cobertura aos pacientes nesta época do ano. “Nesse período aumentam os casos de infecção respiratória”, frisou. “E as crianças são as que mais sofrem”, ressaltou Araújo.

O secretário explicou também que 30% da população de Campo Verde inserida no grupo de risco já foi vacinada contra a gripe este ano. Para a próxima sexta-feira (5) está prevista a chegada de uma nova remessa do medicamento.

De acordo com o secretário de Saúde, a vacina contra a gripe é fornecida pelo Ministério da Saúde. “O Município não tem como comprar”, destacou. “Mas assim que chegar a nova remessa daremos continuidade à vacinação”, disse.

Quanto à suspeita de 3 casos de gripe H1N1 no município, elas ainda não foram confirmadas. Segundo ele, uma mulher de 45 anos internada com suspeita da doença está reagindo bem ao tratamento. O outro caso suspeito, o de um bebê, de acordo com Timóteo, já foi descartado.

A Secretaria de Saúde aguarda ainda o resultado do exame de um rapaz de 18 anos que morreu após dar entrada no Hospital Municipal Coração de Jesus e ser transferido para a Unidade de Terapia Intensiva em Primavera do Leste com infecção pulmonar aguda para confirmar ou não se a causa da morte foi o H1N1. “Esse resultado demora cerca de 28 dias, pois é feito somente em São Paulo”, informou Timóteo.

DE acordo com ele, a população não deve se alarmar com o risco da H1N1, mas é preciso prevenir. Como medidas que podem evitar a contaminação pelo vírus da H1N1, recomenda-se evitar lugares fechados e com aglomeração de pessoas e manter as mãos sempre limpas.

“Nós não temos como evitar que a doença chegue a Campo Verde, mas o que podemos fazer enquanto Secretaria de Saúde estamos fazendo, como a ampliação da cobertura no atendimento e o acompanhamento dos casos suspeitos”, disse.

Categorias: Saúde