Audiência Pública resulta em aumento das ações de repressão à criminalidade em Campo Verde




 

Deputado estadual Ademir Brunetto

Deputado estadual Ademir Brunetto

A Polícia Militar e a Polícia Civil vão intensificar as ações de repressão ao crime e de inteligência em Campo Verde. O anúncio foi feito pela cúpula das duas forças de segurança durante audiência pública realizada na última sexta-feira, no auditório da Associação Comercial e Empresarial. Cerca de 200 pessoas, entre lideranças políticas, empresários e autoridades municipais participaram do evento. Os deputados estaduais José Domingos Fraga e Ademir Brunetto, que presidiu a audiência, também estiveram presentes.

De acordo com o comandante geral da PM de Mato Grosso, Coronel Denardi, os grupos especiais da Polícia Militar, como BOPE e ROTAM, vão realizar operações na cidade com o objetivo de reduzir a onda de assaltos e outros crimes registrados nos últimos dias. A Polícia Civil, por sua vez, irá intensificar as ações de inteligência. A garantia foi dada pelo diretor geral da PC de Mato Grosso, Anderson Aparecido dos Anjos Garcia.

Coronel Denardi, comandante geral da Polícia Militar de Mato Grosso

Coronel Denardi, comandante geral da Polícia Militar de Mato Grosso

Durante a Audiência Pública, que começou às 14h30 e terminou após as 18 horas, algumas pessoas da plateia demonstraram a indignação que toma conta da população com o descaso do Governo do Estado com a segurança em Campo Verde. A cidade, que tem 35 mil habitantes e o segundo maior PIB-Agropecuário do Estado, conta com apenas 20 policiais militares.

Promotor de Justiça da Comarca de Campo Verde, Marcelo dos Santos Alves Corrêa lembrou que em 2011 impetrou Ação Civil Pública contra o Estado para que o efetivo policial da cidade fosse aumentado. A juíza Maria Lucia Prati sentenciou o Governo para que fosse enviado mais 39 PM´s e 10 policiais civis para Campo Verde, porém o Estado recorreu da sentença.

Secretário Adjunto de Segurança Pública de Mato Grosso, coronel Marcos Hübner

Secretário Adjunto de Segurança Pública de Mato Grosso, coronel Marcos Hübner

O pouco efetivo, a proximidade com Cuiabá e o grande número de rotas de fuga foram apontados como causas do aumento no número de assaltos à mão armada registrados nas últimas semanas. Em um deles, a vítima foi a presidente da APAE do Município Maria Garbugio, que foi dominada e agredida pelos bandidos em frente a uma criança de 4 anos.

Além da intensificação das ações de repressão e de inteligência, o comandante da PM de Mato Grosso, Coronel Denardi, informou que 16 policiais serão mandados para a cidade após a realização de concurso e a conclusão do curso de formação de soldados. “Tenho certeza que, se depender da PM, a criminalidade aqui em Campo Verde não vai vencer”, afirmou. “Isso é compromisso meu”, completou.

O secretário-adjunto de Segurança Pública de Mato Grosso, coronel Marcos Hübner, também se comprometeu em trazer melhorias para Campo Verde. “O que é possível fazer, a gente vai fazer”, garantiu. “A intensificação das ações vai dar um fim na situação que vocês estão vivendo. É uma solução imediata para que os senhores e as senhoras voltem para casa com mais tranquilidade”, completou.

Prefeito de Campo Verde, Fábio Schroeter

Prefeito de Campo Verde, Fábio Schroeter

O prefeito Fábio Schroeter, que também participou da audiência pública, lembrou que o Município está colaborando com o Governo Estadual para que a seguran ça em Campo Verde possa ser melhorada. Uma das iniciativas da Administração Municipal é a aquisição de câmeras de monitoramento que serão instaladas em pontos estratégicos da cidade. O equipamento já está sendo testado e deverá ser comprado tão logo seja feita a licitação. Fábio Schroeter acredita que até o meio do ano, as câmeras de monitoramento estejam instaladas.

Ele lembrou também que a Prefeitura está tentando adquirir uma área para que seja construído um presídio, mas está esbarrando na resistência dos proprietários, que se recusam em vender. Outro entrave que está dificultando para que o Município colabore ainda mais para a melhoria da segurança é o entendimento do Tribunal de Contas do Estado de que a Prefeitura não pode pagar salário para que policiais prestem serviços durante parte de seu período de folga. “Lamento que o TCE seja contra a contratação dos policiais”, disse o prefeito. “Até recursos no orçamento nós já temos para isso”, completou. Segundo informações não confirmadas, a decisão do TCE foi revista.

O prefeito destacou o trabalho das Polícias Civil e Militar, do Ministério Público e do Judiciário no combate à violência e enalteceu a realização da audiência pública. Ressaltou que a criminalidade é um problema que assola todos os municípios e que a população tem que cobrar as autoridades para que se chegue a uma solução. “Não temos medo de ser cobrados. A cobrança é justa e necessária”, disse o prefeito. “Elas têm que acontecer”.

Participaram da audiência pública o presidente da ACICAVE Deni Gueno, o presidente da Câmara de Vereadores, José Humberto dos Santos, a presidente da OAB/Campo Verde, Maria Frazão Zunta, o comandante da PM de Campo Verde, Major Hender Ulisses, a juíza da Comarca de Campo Verde, Maria Lucia Prati, o delegado de polícia civil de Campo Verde, Fernando Vasco e o delegado regional da Polícia Civil, Percival Eleutério de Paula, vereadores e secretários municipais. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação)

Categorias: Noticias