Selo postal vai mostrar Capim Branco para o Brasil e para o mundo




2O lançamento do selo postal feito pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos no último sábado (25) em homenagem ao servidor aposentado Ruy Batista Ribeiro pelos 50 anos de serviços prestados vai proporcionar também a divulgação da comunidade histórica de Capim Branco, em Campo Verde, para todo o Brasil e para o mundo.

Colecionar selos postais, de acordo com os Correios, é um hobby para 16 milhões de pessoas em todo o mundo e movimenta um mercado de U$ 32 milhões por ano. Cada selo comemorativo lançado é disputado pelos colecionadores de vários países. Dependendo da raridade, algumas peças filatélicas podem custar milhares de dólares.

Par ao prefeito Fábio Schroeter, que participou do lançamento, o selo é uma justa homenagem a Ruy Batista Ribeiro. Filho do telegrafista e agente postal Victal Batista Ribeiro, que assumiu a chefia da Agência Postal e Telegráfica Coronel Ponce, em Capim Branco, em 1942, Ruy chegou ao local com 3 anos de idade e se mudou aos 13 anos. Foi durante o tempo em que viveu em Capim Branco que Ruy aprendeu com o pai a operar o telégrafo de código Morse e o ofício de agente postal. Em 1959, então com 19 anos, ele foi admitido pelos Correios.

O prefeito Fábio Schroeter destacou a importância do selo comemorativo como reconhecimento ao funcionário da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e também como forma de divulgar o Município. “É um selo que homenageia um servidor dos Correios pelos 50 anos de trabalho, mas também que leva o nosso Museu, que é a antiga Estação Telegráfica, e acaba levando o nome de Campo Verde”, disse. “A gente participou da solenidade (de lançamento do selo), foi tudo muito bonito e ficamos contentes por estarmos inseridos nisso que acaba levando a história de Campo Verde e de Mato Grosso para o Brasil e para o mundo inteiro”, completou.

Visivelmente emocionado, Ruy Batista Ribeiro agradeceu a presença do prefeito Fábio Schroeter, da primeira dama e secretária de Assistência Social Rosilene Sanguine Schroeter e do secretário municipal de Indústria, Comércio e Turismo, Aparecido Rudnick e destacou o que foi para ele ter um selo em sua homenagem. “É uma coisa muito, muito fantástica, pois, além de disseminar a imagem da antiga agência telegráfica, também está disseminando para o mundo, através do selo, a réplica da construída pela Prefeitura de Campo Verde. Eu estou muito lisonjeado”, afirmou. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação)

Categorias: Noticias