“Dia do Mamaço” mostra que mães estão conscientes sobre a importância do aleitamento materno




2Um dos maiores sonhos de toda mulher é ser mãe. O outro é poder amamentar o filho. O momento da amamentação é aquele onde a mulher passa carinho, afeto e proteção ao bebê. O aleitamento materno é um ato que fortalece e sedimenta a ligação entre a mãe e o filho.

O leite materno é também o alimento mais completo, que supre todas as necessidades do bebê até os seis primeiros meses de vida. Além de possuir todos os elementos nutricionais que a criança precisa, o leite da mãe fortalece o seu sistema imunológico.

Para reforçar a importância da amamentação, a Secretaria de Saúde de Campo Verde realizou hoje (21) o “Dia do Mamaço”. A ação, que aconteceu no Centro de Atendimento ao Idoso Benno Jhoner, fez parte do “Agosto Rosa”, mês em que são desenvolvidas diversas atividades voltadas à importância do aleitamento materno.

Durante o “Mamaço”, que contou com a participação de diversas mães, teve palestras, sorteio de prêmios e exibição de vídeos com orientações sobre amamentação. Uma das mães que participou foi a dona de casa Edilene Couto de Jesus (26). Mãe do pequeno Calebe Emanuel, de apenas três meses, ela não dispensou a amamentação do filho.

1A opção pelo aleitamento materno teve a ver com a saúde de Calebe e também com o fortalecimento do vínculo entre mãe e filho. “É mais saudável para o desenvolvimento da criança, além do amor que a gente divide. É muito gostoso”, afirmou.

Edilene explicou por que decidiu pela amamentação. “Além das orientações, foi uma decisão própria. Desde o início eu decidi por duas coisas: o parto normal e a amamentação”, contou.        Para ela, o ato de amamentar completa a maternidade. “Com certeza. É algo muito gostoso, não tem explicação. É uma divisão de amor. É algo que eu dou e que eu recebo de volta”, disse.

Dona de Casa, Dariane Machado espera o segundo filho e, a exemplo do primeiro, vai amamenta-lo também. A opção pela amamentação também levou em conta a saúde dos filhos e a afetividade. “É mais saudável para as crianças e a gente sabe que é uma ligação que a gente tem. É um vínculo único”, disse.

Dariane atribui a saúde da primeira filha ao leite materno. “Nem gripe ela pega, a dentição dela é muito boa e tudo isso a gente sabe que é muito bom. Ela tem uma saúde ótima. Eu a amamentei e esse aqui eu pretendo amamentar também”, afirmou.

6Célia Marcília Pereira de Andrade é mãe da pequena Maria Fernanda, de apenas 6 meses. A bebê, que pesa hoje 8,8 quilos, nasceu com 3,4 quilos e só agora começa a experimentar outro tipo de alimento que não seja o leite materno.

Para Célia, amamentar, além de ser um ato de amor incondicional, só traz benefícios tanto para a mãe quanto para a criança. “É fantástico. A recuperação do seu corpo é mais rápida. Sem contar a saúde do seu filho, que é outra. A Maria Fernanda até hoje (não teve) nem gripe. É inexplicável, amamentar é fantástico”, ressaltou.

Carolina Reis é pediatra. Por causa da profissão, trabalha diretamente ligada às mães e aos bebês e sabe da importância da amamentação para o fortalecimento de vínculo. “Pra mãe, o principal benefício é a relação com seu filho. É um vínculo que a mãe tem com o filho, a dedicação. É aquele momento que você tem com a criança, do aconchego, da proximidade, do carinho naquele tempo que você dedicar ao seu filho”, explicou.

Como médica, ela sabe dos benefícios que a amamentação pode trazer não só para o bebê, mas também para as mães. “Tem estudos que falam que a mulher que amamenta tem menor incidência de câncer de mama”, informou.

E para as crianças, ela confirmou aquilo que as mães que amamentam já sabem. “Além desse fato da proximidade com a mãe, as crianças tendem a ficar muito menos doentes porque passa os anticorpos da mãe para o filho”, explicou.

O leite materno, confirmou a pediatra, supre toda a necessidade alimentar dos bebês. “A quantidade de nutrientes que é passado no leite materno é muito mais adequada do que a de um leite artificial. Aquele leite da mãe é especifico pra criança”, destacou.

O mito de que a amamentação interfere na estética do corpo do mulher, não foi confirmado pela médica. “Não tem comprovação que exista essa correlação de (que) a mama cai com o aleitamento materno. Isso tem fatores genéticos, outros fatores que podem contribuir, mas o aleitamento materno não é um desses fatores comprovados, não”, informou.

Apesar desse e de outros mitos e de os tempos serem do culto à beleza, segundo a doutora Carolina Reis, cada vez mais mulheres estão amamentando seus filhos. “Hoje em dia a gente vê muito mais incentivo ao aleitamento materno. As mães estão mais conscientes da importância do aleitamento materno”, disse.

Ela também lembrou que essa conscientização está atingindo as empresas que empregam mulheres e os legisladores, que estudam a ampliação da licença maternidade. “Para garantir o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês, que é muito importante. Então, hoje em dia, tanto a consciência da mãe quanto das empresas que são empregadoras dessas mães – que hoje em dia a maioria das mulheres trabalha – já tem essa consciência”, ressaltou. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação/ASCOMCV)

Categorias: Saúde