Saúde realiza mutirão contra dengue a partir de segunda-feira




1A partir da próxima segunda-feira (14) Campo Verde entra num verdadeiro “estado de guerra” contra o mosquito Aedes aegypti. Por ordem do prefeito Fábio Schroeter, servidores, máquinas e caminhões da Secretaria Municipal de Obras e Viação vão se juntar aos agentes de endemias e aos demais funcionários da Secretaria Municipal de Saúde no combate ao inseto transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya.

A primeira ação na luta contra a proliferação do Aedes será na região central, com a realização de um verdadeiro mutirão de limpeza. O objetivo é visitar todas as residências e eliminar todos os pontos de procriação do mosquito. De acordo com a Secretaria de Saúde, o centro da cidade, principalmente entre as Avenidas Brasil e Goiânia, é a região mais crítica.

Os mutirões de limpeza serão estendidos aos demais bairros de Campo Verde. No Jupiara e no São Miguel, pelo menos dois arrastões visando o combate ao mosquito da dengue foram realizados este ano. O trabalho, conforme frisou a secretária Sandra Badoco, apresenta resultados apenas nos primeiros dias.

Devido à falta de conscientização dos moradores, menos de um mês após a limpeza, terrenos baldios e quintais estão tomados pelo lixo novamente. “O que está faltando é as pessoas se conscientizarem de que elas também são responsáveis por combater o mosquito da dengue e que precisam colaborar eliminando os pontos de procriação”, observou Sandra Badoco, secretária municipal de Saúde.

Essa falta de conscientização tornam praticamente ineficazes os trabalhos de combate desenvolvido pelos agentes de endemias. Prova disso é o aumento nos número de casos de dengue registrados em 215 em Campo Verde. Até outubro foram 263. Em 2014, durante o ano todo, 64 pessoas foram acometidas pela doença.

Para reverter esse quadro, a Secretaria Municipal de Saúde está desenvolvendo diversas ações de combate e de conscientização, como palestras, teatros, bloqueios em pontos estratégicos e distribuição de panfletos. Também buscou parceria com o Ministério Público, com a Polícia Militar e com o Corpo de Bombeiros, e não descarta convocar o Exército para auxiliar nos trabalhos e para garantir que os agentes de endemias possam entrar nas residências. (Valmir Faria – Supervisor de Comunicação/ASCOMCV)

Categorias: Saúde